Marcelo "Bart" Fabri


Entrevista realizada em: 15/05/2013
Entrevista com Marcelo "Bart" Fabri - Old School Gamer

Fala galera! Meu nome é Marcelo Fabri, mas sou mais conhecido como Bart, moderador do blog 2º Olhar Retrô.
Tenho 31 anos, sou casado há três anos, nasci e moro em Campinas, interior de São Paulo, estudei Química e trabalho com e-commerce.
Curto muito o bom Rock n' Roll, desde os primórdios até bandas mais rescentes, leio muito, vários tipos de livros, quadrinhos e mangás, e claro, jogo muito videogame e é um prazer responder as perguntas para o Old School Gamer!

1- Conte-nos sobre o que fala e como surgiu o blog Segundo Olhar Retrô?

O 2º Olhar fala de cultura em geral, mas principalmente música (claro que é Rock, e muito Rock!), livros em geral, games, quadrinhos e algumas histórias de terror interessantes que vejo por aí.
Demorei um certo tempo para amadurecer a ideia do blog. Pensei em vários assuntos, o que realmente postar, e se o blog teria uma receptividade boa para os assuntos que eu queria tratar, pois eu trato principalmente de assuntos que gosto, inclusive as músicas.
Eu gosto de falar de álbuns de Rock que tenho, game que joguei, livros que li, etc. E fico feliz que estão curtindo!


2- Qual é teu jogo favorito? E o que você não gosta de jeito nenhum?

Devo destacar, sem dúvida, Street Fighter, Tekken e God of War. Não que eu desgoste dos outros, mas um tipo de game que eu não jogo são os de futebol.
Pra se ter uma ideia, o último título que joguei e gostei foi o Superstar Soccer, do SNES.
Eu sempre digo que não tenho coordenação para games de futebol, mas meus amigos sempre dizem: "Pára, Bart! Os games de luta são os piores, e você vem e com essa que não consegue jogar? Tá de sacanagem?" Rs.


3- Coleciona? Caso sim, quais itens mais gosta? Caso não, pretende?

Eu tenho 4 consoles: Master System, Super Nintendo, PlayStation e PlayStation 2.
Tenho um carinho especial pelo SNES, pois vivenciei a era de ouro do console, e o PlayStation 2, devido a qualidade dos games.
Claro que gostaria de ter mais alguns, como o Nintendinho e o Mega Drive, mas ainda tenho fé que conseguirei eles! Rs.


" Fico meio bravo de ouvir pessoas falando que games deixam as pessoas violentas.
Não concordo.
Se fosse assim, quem joga Super Mario virava encanador, certo? "

4- Qual éstilo de jogo você mais gosta?

Cara, eu gosto demais de games de luta, os Beat'Em ups, aventura, horror survivors e alguns RPGs.
Foram os games que mais marcaram minha vida, e os que tive mais facilidade de aprender.
Os horror survivors e os RPGs são amores mais novos, mas os de luta foram os que me incentivaram a manter esse vício.


5- PlayStation ou Sega Saturn?

Pergunta difícil. Os dois consoles são ótimos, com games excelentes e cada um com suas vantagens, mas ainda fico com o PlayStation 1, devido à acessibilidade dos games. Era muito mais fácil encontrar games de Playstation. E claro, a quantidade de games de luta que tenho pra ele fazem a diferença! Rs.


6- Que jogo merece um destaque que infelizmente nunca teve? Aquele que você acha bom, mas a galera nem conhece direito.

Com certeza, a trilogia de terror Fatal Frame, do PlayStation 2. Depois de jogá-lo, os outros games de terror ficam meio forçados. Suas únicas armas são uma lanterna e uma câmera, em uma mansão assombrada, ou em um vilarejo abandonado, recheado de fantasmas? Isso é terror de verdade! Acredito que ele não recebeu a devida atenção, e ficou escondido na sombra dos outros games mais famosos. É uma pena.


7- Existe algum jogo que deveria ter continuação e outro que não?

Sempre que digo isso me olham torto. Mas tem que haver continuação do game Manhunt. Já jogou os dois games? Cara, é muito divertido! Claro que é extremamente violento, mas é muito estratégico. Não é simplesmente sufocar alguém ou sair matando, tem que ser na surdina, analisar o terreno. Muito bom!

Outro título que não deveriam abandonar é o Killer Instinct. Além de ser de luta, que eu gosto demais, é sombrio, a trilha sonora é animal, e os combos gigantes são um atrativo à parte. Não que não se deva ter mais continuação, mas o game GTA é complicado. A Rockstar tem que tomar muito cuidado, para não começar a criar games do tipo "mais do mesmo". É um ótimo jogo, mas uma hora as ideias secam, e em determinado momento não haverá mais o que se fazer devido a liberdade que o game te dá, e pode ocorrer de tudo ficar repetitivo, e os gamers, como todos sabem, são exigentes.


8- Algum sonho de consumo?

Como gamer, acho que consegui, até o momento, jogar tudo o que queria. Consegui zerar a série Street Fighter (incluindo os piratas para NES e SNES), a série Tekken, entre tantos outros. Claro que tem alguns outros games que gostaria de jogar, e como falei antes, os consoles que ainda quero ter, mas me sinto realizado. Vamos aguardar novos títulos!


9- O que você espera das novas gerações de videogames? Qual é a sua espectativa?

Eu sempre digo pra quem tem a minha idade: nós participamos, ativamente, da evolução dos games. Do Atari para o PlayStation 3... é absurdo! E podem reparar que com o passar de nossos anos, os games evoluíram junto conosco. De tramas mais simples da década de 90, de games de aventura em side-scrolling, até as tramas mais complexas e mapas gigantescos do século 21. O botão Select antes era só enfeite, agora é útil! Rs. Imagino que os games serão mais completos, com gráficos mais detalhados (se é possível isso) e maior interatividade com o jogador. E logo mais, os joysticks serão obsoletos.


10- O que tem jogado atualmente? E o que está na fila de espera?

Acabei de zerar o God of War: Ascencion e o Devil May Cry. São excelentes games, recomendo. A série God of War é um espetáculo, e esse novo título não decepcionou. Agora vou me focar nos dois Dark Siders. São muito difíceis, mas pelo pouco que joguei, vale a pena perder horas neles!


11- O que já fez de sacrifício para obter algum jogo/console?

Já fiz sim... pra comprar meu PlayStation 2. Já estava noivo, acertando as coisas pra casar, e queria porque queria o console. O dinheiro que me sobrava eu guardava, mas fiz as contas e iria demorar um pouco mais. No desespero, segurei o máximo que podia de comprar cigarros, pra juntar tudo e comprar logo o PS2! Não me arrependo!


12- Jogou muito fliperama quando criança/adolescente? Joga ainda?

Joguei muito fliperama, na década de 90. Acho que foi o auge do fliperama no Brasil, né? Aqui em Campinas tinha várias casas de jogos (fora os botecos), e sempre passava por elas pra ver os lançamentos. Claro que fiz camaradas por esse percurso.

Com o lançamento quase imediato para consoles caseiros após o lançamento para arcade, as casas de jogos foram sumindo e caíram no esquecimento. Os últimos games que joguei no fliperama foram The King of Fighters 2001 e Garou - Mark of the Wolf. Faz tempo, hein?


13- O que o videogame representa em sua vida?

Além de diversão, é uma maneira de relaxar a cabeça. Trabalhamos o dia todo, aquela correria toda, stress... nada melhor que ligar o console, sentar descalço no sofá e se deixar levar. Funciona quase igual com a música, você coloca os fones de ouvido e diz: "adeus, mundo cruel". Depois de algumas horas jogando, eu me sinto até mais leve, descarrega mesmo. E o mais legal é que é um mundo em expansão constante, agora já são lançados livros, trilhas sonoras com bandas famosas. Nunca vai parar.


14- Pode nos contar alguma história triste, engraçada, curiosa relacionada aos games?

Tenho uma história engraçada.

Sempre gostei de jogar Street Fighter no fliperama. Não gosto de me gabar, do tipo "eu arrebento", mas eu jogava bem sim. Meu irmão mais velho me ensinou jogar, e pouco tempo depois, já ganhava dele. Quando estava na 8ª série, tinha uma casa de fliperamas pertinho da escola, e eu sempre passava por lá pra jogar Street Fighter II - Champion Edition.

Um belo dia, estava eu lá, tranquilo, jogando com o M. Bison, quando de repente um cara bem mais velho que eu (devia ter por volta da minha idade hoje), já coloca a ficha pra jogar contra. Nem pediu. Ele só jogava com o Ryu. Por um momento, fiquei com medo de ganhar dele, e apanhar depois, vai saber. Por outro lado, seria o ápice do vício ganhar de um cara mais velho! Comecei na defensiva... mas o instinto fala mais alto, sabe? Depois que eu tirei a 4ª ficha dele sem perder, ele me olhou (olhou pra baixo mesmo), e eu lá, todo mirrado, morrendo de medo... apertou a minha mão, e desligou a máquina! E pra completar falou: "eu pago a sua ficha, mas você não vai dar final depois de ter me arrebentado desse jeito!". E me deu outra ficha antes de ir embora. Depois disso, nos tornamos "camaradas" na casa de fliperama.


15- Por último, algum desabafo, choro, lamentação, crítica, sugestão, elogio ou recado relacionado ao mundo dos games?

Fico meio bravo de ouvir pessoas falando que games deixam as pessoas violentas. Não concordo. Se fosse assim, quem joga Super Mário virava encanador, certo? Querem arrumar um culpado para as loucuras dessa sociedade, e claro que sobra para os games. Fora o absurdo de impostos que cobram por nossa diversão! E lamento muito não ter mais tempo pra jogar... é triste demais!


COMENTÁRIOS

Seu comentário foi enviado com sucesso!

Assim que for aprovado, será exibido aqui!

Obrigado por participar!

Infelizmente seu comentário não foi enviado.

Tente novamente e se o problema persistir, por favor, envie um e-mail: contato@oldschoolgamer.com.br