Claudia Maria


Entrevista realizada em: 07/01/2011
Entrevista com Claudia Maria - Old School Gamer

O primeiro entrevistado de 2011, ou melhor, a primeira entrevistada desse ano é Claudia Maria que é conhecida também por sua paixão pelo Atari 2600. Claudia nasceu e reside na cidade mineira de Patrocínio. É formada em Pedagogia e pós graduada em supervisão escolar. Em suas horas de folga, dedica quase que seu tempo exclusivamente para vídeo games, desenhos e internet.

1- Há algum tempo, Camila Tanaka foi a primeira mulher a ser entrevistada pelo Old School Gamer e contou um pouco da experiência de ser mulher amante dos games e colecionadora. Algo que nem deveria ter diferença, mas que infelizmente alguns tratam com certo desprezo ou descaso. Para você, há realmente diferença, preconceito, ou é algo normal?

Por uma questão cultural vídeo games é coisa de "menino" é infelizmente alguns homens não aceitam muito a idéia de mulheres nesse meio. Eu participo de muitas comunidades no Orkut de falam de vídeo games e pra meu espanto a receptividade é bem positiva anda cada vez mais raro ter gente desprezando garotas que jogam vídeo game.


2- As pessoas conhecem você pelo amor ao Atari. É de fato o console que você mais curte ou você divide esse amor com outro(s) videogame(s)?

É meu console favorito e ponto final rs. Ganhei ele com 11 anos e tenho até hoje. É o que mais fica na ativa aqui em casa. Adoro os jogos e tenho longas histórias com ele.


3- Coleciona? Quantos consoles possui? E jogos? Sabe quantos?

Hum, estou no começo de uma coleção. Tenho um Dactar, um Master System, um Super Nintendo, um Game Boy Color e um PlayStation 2. Quanto a jogos, os que mais compro são de Atari. No momento devo ter uns 60 jogos pra ele.

Master system tenho After Burner que ganhei de um amigo e Alex Kidd na memória do vídeo game. Super Nintendo por enquanto não comprei nada, só tenho Super Mario World e Mario Paint que ganhei de outro amigo.

Game Boy Color eu uso pra jogar Tetris e Dr. Mario e PlayStation 2 também não sei quantos jogos tenho, apesar de usar ele mais como emulador.


4- As perguntas clássicas: Qual é seu jogo favorito? E o odiado?

Favorito é Megamania do Atari 2600 e o odiado é ET o Extraterrestre também do Atari. Se um dia eu descobrir como se joga talvez eu passe a gostar.


5- Jogou muito fliperama quando criança/adolescente?

Infelizmente não, locadoras e fliperamas não foram coisas permitidas pela minha mãe.


6- Tens ainda o blog sobre o Atari? Tem algum projeto para ele ou algo similar?

Tenho sim mas anda parado, talvez volte com ele esse ano, mas quero dar um novo visual a ele.

" Por uma questão cultural vídeo games é coisa de "menino" é infelizmente alguns homens não aceitam muito a idéia de mulheres nesse meio. "

7- Os jogos de hoje, te agradam como os antigos? O que faltam neles?

Não agradam muito, quase não os jogo. Sinto falta mesmo da simplicidade, às vezes chego a me atrapalhar toda em meio a tantos botões. Estou jogando Black do PlayStation 2 e sem ajuda, não conseguiria fazer nada.


8- Qual é a época que você mais curtiu na sua vida de gamer? O que te deixa saudades?

Dos 12 aos 17 anos, foi quando muita gente aqui ainda jogava Atari e era aquela "máfia" de trocas de cartuchos. Eu trocava na escola e se fosse preciso eu andava longe atrás de um jogo. Depois fui pra faculdade aí não tinha mais contato com jogadores.


9- Existe algum jogo que gostaria que tivesse remake ou continuação? E qual teve e você acha que deveria ter ficado no original por ter sido ruim?

Não sou muito fã de remakes, mas talvez um bom remake de Seaquest do Atari. Para mim a maioria dos remakes deveria ficar no original, mas o pior de todos foi Top Gear. Um jogo perfeito no SNES que não foi a mesma coisa no Nintendo 64.


10- Pitfall ou Jungle Hunt?

Hum, essa é difícil, mas acho que ainda fico com Pitfall (mas fica uma dor no coração porque adoro Jungle Hunt).


11- Às vezes me pergunto se não sou nostálgico demais. Você se sente assim ou consegue ter uma boa relação com jogos e videogames atuais como se fosse algo natural, evolutivo?

Não como antes, mas sim um pouco. Não sei explicar porque, mas é diferente se alguem vê um menino jogando, acha normal. Já se vê uma menina já acham super estranho, pelo menos eu acho!


12- Conte-nos uma experiência curiosa, engraçada ou até triste (espero que não tenha uma dessas) que aconteceu na sua vida a respeito dos jogos.

Tenho uma engraçada de quando ganhei meu Dactar. Ele veio com um cartucho de 4 jogos daquele que você muda o jogo nas chaves. A gente colocou o cartucho no vídeo game e estava no jogo Bobby is going home. Jogamos pensando, "basta levar o Bobby em casa que vai passar pro outro jogo".

Levamos e quando a musiquinha terminou de tocar o jogo começa novamente. "Bom vamos levar ele até a próxima casa e o jogo vai mudar" pensamos. Ficamos levando o Bobby pra casa durante uma semana sem saber que o jogo era infinito.

Na semana seguinte já não agüentávamos mais jogar aquele jogo até que meu pai desligou o vídeo game, virou as chaves e enfim o jogo mudou. Eu e minha irmã ficamos olhando uma pra cara da outra igual idiotas.

13- Quais projetos pretende ter em 2011 em relação a videogame e coleção?

Esse vai ser um ano que não vou comprar mais consoles, pretendo comprar muitos cartuchos de Atari, ainda tem muito jogo que eu quero. Como gosto de desenhar quero ver se faço mais alguns desenhos relacionados a vídeo games.


14- Algum recado específico? Critica, sugestão, elogio ou xingamento para alguém da área de games?

Hum, quero deixar um recado a todos os gamers para que nunca deixem de jogar e sempre joguem o que gostam, seja antigo ou novo de qualquer estilo, joguem sempre. Elogio eu quero deixar ao projeto Jogo Justo pelo qual estou torcendo muito. Quero também deixar os parabéns a você pelo blog. É sempre bom ter o que ler sobre vídeo games, principalmente os antigos.



Claudia, é um prazer sempre compartilhar histórias como as suas e saber que as mulheres estão cada vez mais se interessando ou revelando antigos interesses aos games. É mais interessante ainda ver uma retrogamer como você que se dedica a manter viva a memória de tempos que, tenho certeza, foram agradáveis e mágicos a você e a todos nós que vivemos os anos 80 e 90 principalmente!

Agradeço pelo apoio e pela entrevista que tenho certeza, todos vão curtir!

COMENTÁRIOS

Seu comentário foi enviado com sucesso!

Assim que for aprovado, será exibido aqui!

Obrigado por participar!

Infelizmente seu comentário não foi enviado.

Tente novamente e se o problema persistir, por favor, envie um e-mail: contato@oldschoolgamer.com.br

Rudah07/01/2011

Belíssima entrevista, Claudinha. Você mostra realmente a identidade de jogadora maníaca pelo Atari, como sempre conheci. Um abraço... ;)