Nino "Mega Driver"


Entrevista com Nino Mega Driver -  Old School Gamer

Antonio F. Tornisiello trabalha em sua empresa provedora de serviços de Internet e é formado em Multimídia Computacional. Porém no mundo dos games, é conhecido como Nino Mega Driver, o guitarrista e um dos fundadores da banda de Game Metal Mega Driver!

1- Como surgiu a banda Mega Driver? E quais as principais influências musicais do grupo?

A idéia é muito antiga. Quando era adolescente, no início da década de 90, ficava ouvindo as músicas dos games e imaginando como que elas ficariam se tocadas com instrumentos de verdade - com guitarras, baixo, bateria, etc e no estilo que eu mais gostava, Heavy Metal. Desde quando comecei a aprender a tocar guitarra, passei a "tirar" os temas dos jogos. Em praticamente todas as bandas de garagem que passei tentei impor a idéia de tocarmos temas de games, a idéia de criar o "Game Metal".

Era algo tão difícil convencer as pessoas a aceitarem esta idéia que, apoiado por um grupo seleto de amigos, passei a fazer gravações eu mesmo, sozinho, fazendo todos os instrumentos, e postar na internet. Na época, colocava as músicas em meu website pessoal, o "nino.com.br". Teve uma época que até realizava apresentações "solo", estilo "workshop".Apenas alguns anos depois, por volta de 2003, é que finalmente consegui fechar uma formação completa para banda para passarmos a realizar shows.


2- Em qual momento, você percebeu que a Mega Driver realmente decolou e estava fazendo sucesso para o publico alvo?

Para nós, as coisas realmente se aqueceram quando adotei o nome "MegaDriver", em meados de 2003. De lá para cá os downloads das músicas foram gradativamente aumentando. A partir de 2005 começamos a contabilizá-los e, hoje, já ultrapassamos a marca dos 13 milhões de downloads.

Embora poucos nos dêem algum mérito, temos o orgulho de afirmar, com segurança, que fomos um dos pioneiros da "Game Music", os primeiros a fazer versões Heavy Metal de músicas de jogos, a inventar o estilo "Game Metal". Devemos muitos aos jogos clássicos, aos desenvolvedores e a Indústria dos games, sem eles não existiria MegaDriver. Ficamos muito orgulhosos em saber que nosso objetivo, de pagar tributo aos games, está sendo alcançado.


3- Coleciona videogames? Caso não, gostaria? Tem projetos para começar? O que acha da prática?

Não sou oficialmente um colecionador, mas não costumo vender um console ou jogo para comprar outro. Logo, ainda tenho quase todos os meus consoles. Embora seja muito fã de emuladores, sempre que possível, jogo todos os clássicos no console original. Para ter uma idéia, na minha sala tenho dois Mega Drives, diversas fitas e uma TV de tubo. Quanto a colecionar, acho excelente e apoio a todos que tiverem condições de manter esta pratica.


" Guardo carinhosamente uma fita com uma gravação de um show no ABC, onde a galera debaixo de chuva, gritou pela primeira vez M-E-G-A-D-R-I-V-E-R "

4- Na minha opinião, OutRun e Street Fighter II são os dois jogos que possuem proporcionalmente as melhores trilhas sonoras de videogames. E na sua quais são?

Tenho vários preferidos! Além dos citados, gosto muito das músicas da série Golden Axe, Castlevania, Shinobi, Streets Of Rage, Sonic dentre inúmeros outros. Se fosse forçado à escolher apenas um compositor, acredito que citaria Yuzo Koshiro.


5- Um objetivo para esse ano no que diz respeito aos games.

Terminar meu novo controle arcade para melhorar meu ranking no (super) Street Fighter IV.


6- Uma frustração.

Em relação aos games, minha frustração atual é sobre a quantidade esmagadora de "ports" que andam fazendo para 360, PS3 e Wii. Embora ache incrível a possibilidade de jogar um clássico em um console moderno, sou contra "ports". As empresas deveriam se encarregar de recriar os games, recriar os gráficos em alta definição, melhorar a qualidade sonora das músicas, e não simplesmente "converter" os jogos para o novo console.

Por exemplo, recentemente lançaram o "Earthworm Jim HD" que foi fenomenal! Agora podemos jogar o game, exatamente como fazíamos no Mega Drive, mas com gráficos refeitos e com a trilha melhorada. Agora imaginem, se o "Symphony Of The Night" fosse no mesmo estilo? A mais recente decepção foi o "Final Fight". Nós criamos uma expectativa em torno dos lançamentos e, quando saem, desanimamos ao ver que é simplesmente uma versão "convertida".


7- Sei que vai me dizer que cada show é especial e vale a pena, mas qual foi o show que mais te marcou na carreira com a Mega Driver?

Cada show consideramos realmente uma conquista, desde a primeira apresentação em um bar de porão. Fazemos em torno de dez apresentações por ano, o que é pouco para uma banda, então toda ocasião consideramos importante e damos muito valor.

Temos guardados em nossas lembranças nossa primeira viagem para fora de nosso estado e também a primeira participação em um evento de peso internacional, o Video Games Live de 2008. Mais ainda, guardo carinhosamente uma fita com uma gravação de um show no ABC, onde a galera debaixo de chuva, gritou pela primeira vez "M-E-G-A-D-R-I-V-E-R".


8- Fora a Mega Driver, você tem ou participa de algum outro projeto musical?

Como músico me dedico exclusivamente para o MegaDriver. Porém, três dos nossos integrantes também participam da "Cellmys", uma excelente banda de Heavy Metal nacional. Fica registrada minha recomendação.


9- Conte-nos mais sobre os integrantes da banda. O que fazem, o que curtem...

De uma certa forma temos os gostos muito parecidos, obviamente todos gostamos muito de jogar e curtir um bom metal. Eu e o Rubens (baixista) temos as preferências musicais mais semelhantes. Gostamos muito de King Diamong, Mercyful Fate, Rage, Grave Digger, etc. Jeff, por tocar bateria, gosta mais de bandas de metal extremo, aquelas em que o bumbo vira uma metralhadora. Tura, nosso segundo guitarrista, é mais "nobre" e curte bandas no estilo Dream Theater. Já, Allan, nosso vocalista, é muito fã de metal clássico e principalmente nacional, cantado em português.


10- O que representa o Video Game Live para você?

Foi o primeiro evento dedicado exclusivamente as trilhas sonoras dos games que fez sucesso e conseguiu se difundir, tornando-se o maior do mundo. O VGL ajudou a divulgar ainda mais o "Game Music" e influenciar a criação de outros projetos. Aqui no Brasil, demonstrou seu apoio ao MegaDriver, tornando possível nossa participação na abertura das edições 2008 e 2009, e também de diversos outros projetos locais. O VGL é um exemplo para todos que gostam e fazem "Game Music" segurem. Sou admirador e grande fã do VGL.


11- Qual jogo que a maioria idolatra, mas que você acha normal ou até mesmo ruim?

Difícil responder a esta pergunta. Confesso que fiquei pensando por muito tempo e fico com muito receio de responder. "Ruim" seria um termo muito forte, mas não me atraio nem um pouco por jogos FPS. Logo, indo contra a maioria (inclusive, Rubão, nosso baixista, que é viciado), se fosse citar um jogo, falaria Counter Strike.


12- No site, você diz nas "faqs" que o Mega Drive é o "xodó" da banda. Qual é a sua história com o console da Sega?

Na bem da realidade eu sou um "garoto arcade", sempre fui fascinado por fliperamas. Jogava muito Golden Axe, Altered Beast, Splatterhouse, Shinobi, dentre outros clássicos da Sega, nos "flipers" espalhados pela cidade. Quando o Mega Drive foi lançado, com todos esses jogos, eu fui ao delírio! Com certeza foi o console que mais joguei durante a adolescência e jogo até hoje.

Por exemplo, o motivo por ter comprado um Super Nintendo foi apenas um, Street Fighter II, já o Mega Drive foram vários. Não entendam que sou extremista, pois tenho e jogo vários consoles, mas com certeza tenho um carinho especial e uma certa preferência pelo Mega Drive.


13- As musicas são disponibilizadas gratuitamente através do site da banda, já aconteceu algum problema de ordem jurídica ou reclamação por direitos autorais das softhouses e produtoras?

Nunca tivemos problemas deste gênero, muito pelo contrário, sempre quando recebemos algum contato dos desenvolvedores ou compositores é demonstrando o apoio à nossa iniciativa. Também entendo que não haveria o porquê de existir represaria em relação a projetos como o nosso, pois como o objetivo é pagar tributo, ajudamos a divulgar os jogos e as marcas. Mais ainda, nossas versões, por não serem cópias fiéis as originais ou "covers" propriamente ditos, não se caracterizam por completo como uma violação de direitos autorais.


14- Quais são os projetos da Mega Driver para o segundo semestre de 2010? Teremos novidades? Novos discos?

Garantidos para o segundo semestre são uma série de shows em quatro capitais, São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória e Brasília. Também estamos preparando um novo álbum, com músicas com vocal, sem uma previsão fixa para lançamento. A faixa "Axetales", inspirada na série Golden Axe, uma das presentes no novo álbum, já está disponível para download no website.


15- Como os seus amigos, familiares e namorada encaram a rotina de musicos e gamer?

Não posso reclamar de nada, pois tenho apoio total. Meus amigos nos acompanham em todos os shows possíveis e, minha namorada, fã da banda, conheci em um deles.

Minha mãe, falecida no ano passado, sempre me deu muito apoio, e tinha como uma das músicas preferidas a nossa versão de Frog, de Chrono Trigger. Meu pai, infelizmente morreu em 1997, antes de iniciar a empreitada com o "Game Metal" na Internet, mas tenho certeza que também apoiaria, pois sempre me deu uma força para estudar música.


16- Alguma experiência (curiosa, engraçada, negativa ou positiva) no mundo dos games em sua vida?

Para cada apresentação que fazemos voltamos para casa com uma "pérola", mas não é algo que possamos falar publicamente (heheheh). Uma situação engraçada, enquanto ainda fazia workshops, anunciando minha próxima música, fiz uma brincadeira com a "mina", vocalista de uma banda que por ventura também havia tocado esta mesma música poucas horas atrás.

Pouco tempo após fazer a brincadeira, descobri que a "mina" era um "cara"!!! Com isso perdi a concentração, tomado por "risos internos", e acabei tocando a dita da música quase inteira errada. Foi estranho! E olha que naquela época não existiam emos! Heheheheheh


17- Algum desabafo, choro, lamentação, crítica, sugestão, elogio ou recado relacionado ao mundo dos games?

Em relação as desenvolvedoras, tenho uma certa decepção com a falta de importância dada aos jogos em estilo clássico. Por exemplo, desde o Playstation (um) estou aguardando um novo Castlevania, em estilo tradicional, para um console de porte. Os desenvolvedores as vezes insistem em tentar "modernizar" os clássicos e isto, na prática, não dá muito certo.

Aparentemente, como mostram alguns lançamentos recentes, as coisas estão melhorando neste sentido, então para nós, jogadores clássicos, talvez haja uma luz no fim do túnel. Para os "gamers", agradeço muito ao apoio que sempre nos deram ao longo dos anos e peço, humildemente, que nunca parem de jogar e curtir as músicas e não tenham vergonha disso. Antigamente gostar de jogos eletrônicos era motivo de gozação, hoje é algo "chique", é ser "geek". Então, vamos aproveitar ;)


18- Um sonho ou meta.

Conseguir profissionalizar 100% o trabalho com a MegaDriver, que ainda é uma banda independente.


O Old School Gamer agradece a partipação do Nino nessa excelente entrevista e deseja muito sucesso para todos os integrantes da banda Mega Driver!



Abaixo uma galeria de fotos da banda Mega Driver

+imagens

fechar

COMENTÁRIOS

Seu comentário foi enviado com sucesso!

Assim que for aprovado, será exibido aqui!

Obrigado por participar!

Infelizmente seu comentário não foi enviado.

Tente novamente e se o problema persistir, por favor, envie um e-mail: contato@oldschoolgamer.com.br